quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Pastor da Assembléia de Deus pode ser condenado a até 12 anos de prisão por usar o cargo público para vantagens pessoais

O Ministério Público acusou o deputado Hidekazu Takayama (PSC-PR), de usar funcionários públicos em suas atividades de pastor da Assembleia de Deus. Takayama vai ter de responder ação penal no STF (Supremo Tribunal Federal), pois a denúncia foi aceita por unanimidade pelo Tribunal.


A acusação formal à Justiça, feita pelo MP relata que Takayama empregou de 1999 a 2003 pelo menos 12 funcionários de seu gabinete em seu estúdio particular de gravações de mensagens. O STF aceitou a denúncia por unanimidade.

O Pastor e Deputado afirma ser inocente e acusou os funcionários de querer aplicar um golpe, pois queriam receber em dobro pelo seu trabalho. Porém o Ministro-Relator, Dias Toffoli, ressalta que a denuncia foi aceita por haverem ações trabalhistas, além do depoimento dos funcionários.

O Pastor Takayama é o autor de um projeto de lei que isenta pastores dos crimes de injuria e difamação. O crime que Takayama está sendo acusado é o de peculato (usar o cargo público para vantagens pessoais), e ele poderá ser condenado de 2 a 12 anos de prisão.

Fonte:
Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Wordpress Themes | Bloggerized by Free Blogger Templates | Macys Printable Coupons