quinta-feira, 26 de agosto de 2010

VY Canis Majoris: a maior estrela já descoberta!

VY Canis Majoris (VY CMa) é uma estrela hipergigante vermelha localizada na constelação do cão maior. Ela é a maior estrela conhecida e uma das mais luminosas.
Uma equipe de astrônomos liderados por Roberta Humpreys, da Universidade de Minnesota através do Telescópio Espacial Hubble e do observatório de W.M. Keck, Kameula, Havaí estimou que seu raio está entre 1800 e 2100 raios solares.
Existem duas opiniões controversas sobre esta estrela. Uma delas (segundo os estudos de Roberta Humpreys) é de que a estrela é uma hipergigante, muito grande e luminosa. A outra (com base nos estudos de Massey, Levesque e Plez) é de que a estrela é uma supergigante normal, com um raio estimado em 600 raios solares. A estrela tem o volume de 2.940.000.000 (lê-se: dois bilhões e novecentos e quarenta milhões ou dois mil milhões e novecentos e quarenta milhões, em português europeu) planetas Terra. Estimações anteriores de seu diâmetro dizem-na ainda maior, com um raio de quatorze unidades astronômicas, o que equivale a 3000 raios solares.



Direita para esquerda:VY Canis Majoris comparada com Betelgeuse, Rho Cassiopeiae, Estrela da Pistola e o Sol (invisível aqui). As órbitas de Júpiter e Netuno são também mostradas.
Se colocássemos VY Canis Majoris no centro do Sistema Solar, a sua superfície chegaria a Saturno.

Imagens obtidas com o Telescópio Espacial Hubble (NASA/ESA) e com o Telescópio Keck (NASA/Caltech) permitiram medir o movimento do material ejetado pela estrela e mapear a distribuição de luz polarizada. A luz polarizada mostra-nos a distribuição da poeira, pois são os grãos de poeira que refletem a luz com uma orientação específica. Combinando a informação dos dois telescópios, os astrônomos construíram uma imagem tridimensional da matéria emitida por VY Canis Majoris.


VY Canis Majoris, aproximando-se do fim da sua vida, está ejetando grandes quantidades de gás, a uma taxa elevada, com episódios de ejeção de matéria que lhe fazem perder cerca de 10 vezes mais massa do que no seu estado normal. As observações mostraram arcos e grumos de material à volta da estrela que se movem a diferentes velocidades e em diferentes direções. Isto é consequência dos surtos de ejeção de matéria terem acontecido em eventos separados, a partir de locais diferentes da estrela. Os astrônomos concluíram ainda que o material mais distante da estrela foi ejetado há cerca de 1000 anos, e o material mais próximo da estrela foi ejetado há aproximadamente 50 anos.

As observações permitiram capturar uma fase curta da vida de uma estrela de massa elevada. Na evolução estelar, o estágio de supergigante vermelha tem uma duração típica de 500 000 anos. Uma estrela de massa elevada torna-se uma supergigante vermelha perto do fim da sua vida, quando esgota o hidrogênio do seu núcleo. À medida que o seu núcleo contrai devido à gravidade, as camadas mais externas expandem e a estrela torna-se cerca de 100 vezes maior e começa a perder massa a uma taxa mais elevada. VY Canis Majoris já perdeu cerca de metade da sua massa e o seu fim será, provavelmente, uma explosão de supernova, dentro de aproximadamente 3200 anos.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/VY_Canis_Majoris
http://www.portaldoastronomo.org/noticia.php?id=702

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Wordpress Themes | Bloggerized by Free Blogger Templates | Macys Printable Coupons