terça-feira, 29 de março de 2011

NASA decifra sinal de socorro extraterrestre!

Especialistas da Nasa, afirmam ter interceptado uma chamada de socorro intergaláctico de uma civilização extraterrestre, que havia alcançado um máximo, e estava a ponto de morrer, quando ainda os Tigres Dente de Sabre, vagavam pela Terra.


Artigo encontrado dentro do lote 7, dos arquivos de Ovni liberados recentemente pelo ministro de defesa Britânico e publicado nos arquivos nacionais.

Curiosamente, um destes arquivos, conta com um artigo publicado no Weekly News, em 17/09/1998, Vol.19, N51, com a história da Nasa, acerca de como se detectou e decifrou um sinal de Socorro baseadas nas matemáticas de um Planeta condenado fora de nossa Galáxia.


O sinal, foi detectado em Janeiro de 1998, foi necessário muitos meses para decifrar esta mensagem.

Com 80 MiL anos de idade, foi recebida e gravada em final de janeiro de 1998.

Mas somente nas últimas semanas, rádio astrônomos e especialistas, encontraram a Chave para a complexa linguagem, baseada na matemática, que permitiu traduzir o motivo frenético de busca por ajuda.

A Imprensa Mundial, está suspeitosamente em silêncio sobre esta mensagem surpreendente, apesar de informes científicos que estão programados para sua publicação nas revistas especializadas, de Rádio e Astronomia no Planeta.

De acordo com uma Fonte de Alto escalão da Nasa em Houston, o científico espacial Russo Victor Yulakow, que dirige um equipamento das nações unidas de investigação de um observatório operado pelo estado, 50 milhas a noroeste de Moscou, Disse que o sinal enviado de um ponto mais além da galáxia, mas cercando a nossa Andrômeda, e foi enviado aparentemente, por uma civilização mais avançada que a nossa aqui da Terra.

O simples fato de receber e decodificar a mensagem, é a prova além de qualquer dúvida, que os conhecimentos e tecnologia, talvez estejam ao nosso alcance, diz o Dr Kulakov

Enquanto nós temos anos de estudo pela frente, posso dizer com certeza, que a Morte desta civilização, não foi o resultado de uma Catástrofe Cósmica, mas foi o resultado de uma Civilização, girando sobre si mesma, possivelmente com Armas Nucleares Devastadoras.

Dr Kulakov, se negou totalmente a proporcionar a qualquer que seja das revistas, uma transcrição da mensagem, Mas dizia que começou com a confissão de culpa, “Socorro”, e passou a dar dados sobre a localização e posição exata do Planeta condenado.

Houve um relato muito lúcido da devastação apocaliptica, explosões, mortes e doenças, disse ele. Uma Chuva de Meteoros? Talvez, mas o que impressiona, é o sentimento de uma confissão de culpa, É como se os remetentes das mensagens, são reconhecidos culpados, do que aconteceu, seja como for, aparentemente, não tinha meios para evacuar o restante da população, viajar para o espaço, estava disponível para eles, mas apenas um nível muito limitado, mas a mensagem é muito clara de que eles estavam presos em seu Mundo, disse o Dr Kulakov.

Fontes:
http://www.provafinal.net/?p=1774
http://mundoconmisojos.blogspot.com

segunda-feira, 14 de março de 2011

Se você não é religioso, pelo amor de Deus diga!

A British Humanist Association [Associação Humanista da Grã-Bretanha] lançou no final de 2010 uma nova campanha pró-ateísmo. O grupo ficou conhecido algum tempo atrás por espalhar mensagens antirreligiosas em ônibus e outdoors em diversas partes do país.


Sabendo que um novo censo será realizado no Reino Unido a partir de março de 2011, decidiram apelar para que humanistas e ateus tenham uma posição firme ou, como eles mesmo dizem, “saiam do armário”. Uma vez que existe a opção de cada entrevistado declarar sua religião, a BHA decidiu usar um apelo inusitado: “Se você não é religioso, pelo amor de Deus diga”.

O incentivo é para o maior número de não-religiosos ou religiosos não praticantes declarem isso formalmente, optando pelo “não” quando perguntados pelo censo sobre sua religião. Segundo a Associação, isso forçaria o governo a mudar sua posição de favorecimento a escolas confessionais e benefícios concedidos à Igreja da Inglaterra [Episcopal Anglicana]. Ou seja, além da questão religiosa há um aspecto político envolvido.

Em outros anos, o Censo não levava em consideração as pessoas que marcavam a opção “jedi”. Mesmo assim, um grupo grande declarou-se jedi como forma de protesto. Isso deu a falsa impressão que a igreja Jedi, que realmente existe, estava crescendo no país. Este ano, uma das opções sugeridas é marcar “Facebook” como forma de protesto.

Porém, a campanha da BHA acabou sendo censurada. Autoridades inglesas não permitiram que os outdoors e sinais em ônibus fossem divulgados por temor que a mensagem irônica pudesse ser ofensiva a outros grupos religiosos. A Associação mudou então seu lema para “Não é religoso? No censo deste ano marque NÃO”. No último censo oficial, 72% dos ingleses declararam-se cristãos. O entendimento do grupo humanista é que muitos fizeram isso por serem de uma família cristã, terem sido batizados quando crianças e/ou por vergonha de declararem-se ateus, mesmo sem crer no Deus cristão.


A internet tem sido uma forte aliada dessa campanha da BHA, que colocou no ar um site para explicar sua campanha e arrecadar contribuições (AQUI). Também criaram uma página para tentar dissuadir pessoas a se declararem jedis, a YourenotaJedi.com. Além disso, campanhas em redes sociais como Twitter e Facebook têm sido usadas.

Fonte:
http://bulevoador.haaan.com

A fronteira estava em toda parte - Série Sagan

Uma inteligente previsão da evolução humana. Carl Sagan aponta o provavel rumo da sociedade do futuro em um ponto de vista cientifico.



Legendado pela equipe do http://BuleVoador.com.br , blog oficial da Liga Humanista Secular do Brasil (http://facebook.com/LiHSBrasil | http://twitter.com/LiHSBrasil).

terça-feira, 8 de março de 2011

NASA diz ter encontrado vida extraterrestre em meteorito

O Dr. Richard B. Hoover, um renomado e premiado astrofísico que trabalha no Centro Espacial Marshall, da NASA, publicou um artigo alegando ter encontrado indícios de vida em um meteorito.


Fósseis de ETs?

O artigo foi publicado na sexta-feira em um periódico científico pouco conhecido, chamado Journal of Cosmology.

Juntamente com o artigo, o periódico publicou um comunicado sobre o aspecto controverso da descoberta e os cuidados tomados antes de sua publicação:

Dada a natureza controversa desta descoberta, nós convidamos 100 especialistas e enviamos um convite geral para mais de 5.000 cientistas da academia para revisar o artigo e apresentarem suas análises críticas. Nossa intenção é publicar os comentários, tanto favoráveis quanto desfavoráveis, juntamente com o artigo do Dr. Hoover.

Até o momento, a NASA não se pronunciou oficialmente, ao contrário do que sempre faz, mesmo no caso de descobertas não tão significativas. [ATUALIZAÇÃO - veja abaixo]

A agência espacial parece não haver se refeito ainda de uma alegação anterior do mesmo tipo, quando o anúncio da descoberta de sinais de vida em um meteorito marciano foi feito em cadeia nacional pelo então presidente do país, Bill Clinton. A "descoberta" então anunciada continua controversa.

Tampouco houve tempo para que cientistas sérios e ponderados se pronunciassem, o que recomenda que se aguarde a publicação dos comentários anteriores à publicação, prometidos pela revista.

Fósseis em meteoritos

A conclusão do Dr. Hoover veio da análise de dois meteoritos - Ivuna CI1 e Orgueil CI1 - catalogados como condritos carbônicos, um tipo muito raro de meteorito, perfazendo não mais do que 5% dos condritos.

Os meteoritos foram seccionados em ambiente estéril para evitar contaminação e observados com um microscópio de rastreamento eletrônico por emissão de campo (FESEM).

As imagens revelam estruturas intrigantes, interpretadas pelo pesquisador como fósseis de vida bacteriana - além das formações típicas, o principal elemento que embasa sua conclusão é a ausência de nitrogênio, o que descartaria a contaminação do meteorito depois que ele caiu na Terra.

Se for comprovada a descoberta, este pode ser um dos achados mais importantes da ciência em todos os tempos: a comprovação definitiva de que a vida não é exclusividade da Terra, o que terminaria de vez a era do geocentrismo, um trabalho iniciado por Galileu há mais de quatro séculos.

Comentários da NASA

A NASA manifestou-se no dia 07 de Março, em um curto comunicado no blog Nasa Watch. Veja abaixo a íntegra do comunicado, que nega qualquer endosso da agência espacial ao trabalho do até então Dr. Richard B. Hoover - a NASA nega que o pesquisador tenha um título de doutor.

A NASA é uma agência científica e técnica comprometida com uma cultura de abertura com a mídia e com o público. Embora valorizemos a livre troca de ideias, dados e informações, como parte da investigação científica e técnica, a NASA não pode estar por trás ou apoiar uma afirmação científica a menos que ela tenha sido revisada por pares ou examinada por outros especialistas qualificados. Este artigo foi submetido em 2007 para o "International Journal of Astrobiology". Contudo, o processo de revisão pelos pares não foi completado para essa submissão. A NASA também não tinha conhecimento do recente envio do artigo para o "Journal of Cosmology" ou da sua subsequente publicação. Questões adicionais devem ser endereçadas ao autor do artigo.

Dr. Paul Hertz, cientista chefe do NASA's Science Mission Directorate em Washington.

Fonte:
http://www.inovacaotecnologica.com.br

quinta-feira, 3 de março de 2011

10 mentiras e 10 verdades sobre o ateísmo

1) Ateus acreditam que a vida não tem sentido.

Pelo contrário: são os religiosos que se preocupam frequentemente com a falta de sentido na vida e imaginam que ela só pode ser redimida pela promessa da felicidade eterna além da vida. Ateus tendem a ser bastante seguros quanto ao valor da vida.


A vida é imbuída de sentido ao ser vivida de modo real e completo. Nossas relações com aqueles que amamos têm sentido agora; não precisam durar para sempre para tê-lo. Ateus tendem a achar que este medo da insignificância é... bem... insignificante.

2) Ateus são responsáveis pelos maiores crimes da história da humanidade.

Pessoas de fé geralmente alegam que os crimes de Hitler, Stalin, Mao e Pol Pot foram produtos inevitáveis da descrença. O problema com o fascismo e o comunismo, entretanto, não é que eles eram críticos demais da religião; o problema é que eles eram muito parecidos com religiões. Tais regimes eram dogmáticos ao extremo e geralmente originaram cultos a personalidades que são indistinguíveis da adoração religiosa. Auschwitz, o gulag e os campos de extermínio não são exemplos do que acontece quando humanos rejeitam os dogmas religiosos; são exemplos de dogmas políticos, raciais e nacionalistas andando à solta. Não houve nenhuma sociedade na história humana que tenha sofrido porque seu povo ficou racional demais.

3) Ateus são dogmáticos.

Judeus, cristãos e muçulmanos afirmam que suas escrituras eram tão prescientes das necessidades humanas que só poderiam ter sido registradas sob orientação de uma divindade onisciente. Um ateu é simplesmente uma pessoa que considerou esta afirmação, leu os livros e descobriu que ela é ridícula. Não é preciso ter fé ou ser dogmático para rejeitar crenças religiosas infundadas. Como disse o historiador Stephen Henry Roberts (1901-71): “Afirmo que ambos somos ateus. Apenas acredito num deus a menos que você. Quando você entender por que rejeita todos os outros deuses possíveis, entenderá por que rejeito o seu”.

4) Ateus acham que tudo no universo surgiu por acaso.

Ninguém sabe como ou por que o universo surgiu. Aliás, não está inteiramente claro se nós podemos falar coerentemente sobre o “começo” ou “criação” do universo, pois essas idéias invocam o conceito de tempo, e estamos falando sobre o surgimento do próprio espaço-tempo.

A noção de que os ateus acreditam que tudo tenha surgido por acaso é também usada como crítica à teoria da evolução darwiniana. Como Richard Dawkins explica em seu maravilhoso livro, “Deus, um delírio”, isto representa uma grande falta de entendimento da teoria evolutiva. Apesar de não sabermos precisamente como os processos químicos da Terra jovem originaram a biologia, sabemos que a diversidade e a complexidade que vemos no mundo vivo não é um produto do mero acaso. Evolução é a combinação de mutações aleatórias e da seleção natural. Darwin chegou ao termo “seleção natural” em analogia ao termo “seleção artificial” usadas por criadores de gado. Em ambos os casos, seleção demonstra um efeito altamente não-aleatório no desenvolvimento de quaisquer espécies.

5) Ateísmo não tem conexão com a ciência.

Apesar de ser possível ser um cientista e ainda acreditar em Deus – alguns cientistas parecem conseguir isto –, não há dúvida alguma de que um envolvimento com o pensamento científico tende a corroer, e não a sustentar, a fé. Tomando a população americana como exemplo: A maioria das pesquisas mostra que cerca de 90% do público geral acreditam em um Deus pessoal; entretanto, 93% dos membros da Academia Nacional de Ciências não acreditam. Isto sugere que há poucos modos de pensamento menos apropriados para a fé religiosa do que a ciência.

6) Ateus são arrogantes.

Quando os cientistas não sabem alguma coisa – como por que o universo veio a existir ou como a primeira molécula auto-replicante se formou –, eles admitem. Na ciência, fingir saber coisas que não se sabe é uma falha muito grave. Mas isso é o sangue vital da religião. Uma das ironias monumentais do discurso religioso pode ser encontrado com freqüência em como as pessoas de fé se vangloriam sobre sua humildade, enquanto alegam saber de fatos sobre cosmologia, química e biologia que nenhum cientista conhece. Quando consideram questões sobre a natureza do cosmos, ateus tendem a buscar suas opiniões na ciência. Isso não é arrogância. É honestidade intelectual.

7) Ateus são fechados para a experiência espiritual.

Nada impede um ateu de experimentar o amor, o êxtase, o arrebatamento e o temor; ateus podem valorizar estas experiências e buscá-las regularmente. O que os ateus não tendem a fazer são afirmações injustificadas (e injustificáveis) sobre a natureza da realidade com base em tais experiências. Não há dúvida de que alguns cristãos mudaram suas vidas para melhor ao ler a Bíblia e rezar para Jesus. O que isso prova? Que certas disciplinas de atenção e códigos de conduta podem ter um efeito profundo na mente humana. Tais experiências provam que Jesus é o único salvador da humanidade? Nem mesmo remotamente – porque hindus, budistas, muçulmanos e até mesmo ateus vivenciam experiências similares regularmente.


Não há, na verdade, um único cristão na Terra que possa estar certo de que Jesus sequer usava uma barba, muito menos de que ele nasceu de uma virgem ou ressuscitou dos mortos. Este não é o tipo de alegação que experiências espirituais possam provar.

8) Ateus acreditam que não há nada além da vida e do conhecimento humano.

Ateus são livres para admitir os limites do conhecimento humano de uma maneira que nem os religiosos podem. É óbvio que nós não entendemos completamente o universo; mas é ainda mais óbvio que nem a Bíblia e nem o Corão demonstram o melhor conhecimento dele. Nós não sabemos se há vida complexa em algum outro lugar do cosmos, mas pode haver. E, se há, tais seres podem ter desenvolvido um conhecimento das leis naturais que vastamente excede o nosso. Ateus podem livremente imaginar tais possibilidades. Eles também podem admitir que se extraterrestres brilhantes existirem, o conteúdo da Bíblia e do Corão lhes será menos impressionante do que são para os humanos ateus.

Do ponto de vista ateu, as religiões do mundo banalizam completamente a real beleza e imensidão do universo. Não é preciso aceitar nada com base em provas insuficientes para fazer tal observação.

9) Ateus ignoram o fato de que as religiões são extremamente benéficas para a sociedade.

Aqueles que enfatizam os bons efeitos da religião nunca parecem perceber que tais efeitos falham em demonstrar a verdade de qualquer doutrina religiosa. É por isso que temos termos como “wishful thinking” e “auto-enganação”. Há uma profunda diferença entre uma ilusão consoladora e a verdade.

De qualquer maneira, os bons efeitos da religião podem ser certamente questionados. Na maioria das vezes, parece que as religiões dão péssimos motivos para se agir bem, quando temos bons motivos atualmente disponíveis. Pergunte a si mesmo: o que é mais moral? Ajudar os pobres por se preocupar com seus sofrimentos, ou ajudá-los porque acha que o criador do universo quer que você o faça e o recompensará por fazê-lo ou o punirá por não fazê-lo?

10) Ateísmo não fornece nenhuma base para a moralidade.

Se uma pessoa ainda não entendeu que a crueldade é errada, não descobrirá isso lendo a Bíblia ou o Corão – já que esses livros transbordam de celebrações da crueldade, tanto humana quanto divina. Não tiramos nossa moralidade da religião. Decidimos o que é bom recorrendo a intuições morais que são (até certo ponto) embutidas em nós e refinadas por milhares de anos de reflexão sobre as causas e possibilidades da felicidade humana.

Nós fizemos um progresso moral considerável ao longo dos anos, e não fizemos esse progresso lendo a Bíblia ou o Corão mais atentamente. Ambos os livros aceitam a prática de escravidão – e ainda assim seres humanos civilizados agora reconhecem que escravidão é uma abominação. Tudo que há de bom nas escrituras – como a regra de ouro, por exemplo – pode ser apreciado por seu valor ético, sem a crença de que isso nos tenha sido transmitido pelo criador do universo.

Fonte:
http://www.samharris.org
Tradução:
http://alenonimo.com.br/

quarta-feira, 2 de março de 2011

Meteoritos podem ter semeado vida na Terra

A vida na Terra teve origem fora dela?

Esta é uma hipótese cada vez mais em voga, chamada panspermia.

Agora, um grupo de pesquisadores dos Estados Unidos descobriu indícios da emissão de nitrogênio por um meteorito primitivo.

Microfotografia do material orgânico insolúvel encontrado no meteorito. [Imagem: Pizzarello et al./Pnas]

O nitrogênio é elemento químico fundamental para a vida, encontrado em todos os organismos terrestres.

Nitrogênio extraterrestre

Sandra Pizzarello e seus colegas da Universidade do Estado do Arizona analisaram um meteorito que contém carbono e que foi encontrado na Antártica.

Eles analisaram pouco menos de 4 gramas de pó extraído do meteorito Grave Nunataks 95229, batizado em referência ao local onde foi descoberto na Antártida em 1995.

Para determinar a composição molecular de compostos insolúveis encontrados no meteorito, o grupo coletou amostras que foram tratadas com água em altas temperatura e pressão.

A massa dos componentes resultantes foi analisada e os cientistas verificaram que a água no entorno emitia amônia (NH4) - um precursor importante para moléculas biológicas complexas, como aminoácidos e DNA.

Os pesquisadores analisaram os átomos de nitrogênio na amônia e determinaram que os isótopos atômicos não se encaixavam com os encontrados atualmente na Terra, descartando a possibilidade de que a amônia pudesse ter sido resultado de contaminação durante o experimento.

Origem da vida na Terra

Estudos têm tentado sem sucesso identificar a origem da amônia responsável por desencadear a formação das primeiras biomoléculas na Terra.

A nova pesquisa sugere que os meteoritos, que carregam com eles registros da química nos primórdios do Sistema Solar, podem ter semeado a Terra com os precursores moleculares da vida.

"O estudo mostra que há asteroides no espaço que, ao se fragmentar em meteoritos, podem ter caído sobre a Terra com uma mistura de componentes com propriedades atrativas, incluindo uma grande quantidade de amônia", disse Pizzarello.

Segundo ela, meteoritos podem ter fornecido à Terra uma quantidade suficiente de nitrogênio para fazer emergir a vida em seu estado primitivo.

A teoria de que as "sementes" da vida na Terra foram trazidas por cometas ou asteroides resulta, em parte, da tese de que nosso planeta, em seu período formativo, não contivesse o estoque necessário de moléculas simples para ativar os processos que deram início à vida primitiva.

Tais processos poderiam ter ocorrido no chamado "cinturão de asteroides" entre Marte e Júpiter, longe do calor e da pressão de planetas em formação.

Colisões entre os asteroides dentro deste cinturão teriam produzido os meteoros que viajaram pelo sistema solar e, ocasionalmente, terminaram carregando seu material para a Terra.

Estudos realizados com o meteorito Murchison, que atingiu a Austrália em 1969, mostraram que aquela rocha também é rica em componentes orgânicos.

Mas Pizzarello diz que o meteorito Murchison é "complexo demais" e contém moléculas de hidrocarbonetos mais propensas a serem encontradas em um período mais tardio da história da vida.

Apenas possibilidades

A especialista em meteoros Caroline Smith, do Museu de História Natural de Londres, concorda que um importante elemento no novo estudo é a detecção de nitrogênio. Mas ela questiona se a quantidade encontrada no meteorito da Antártida se repete em outras ocasiões.

"Um dos problemas em relação à biologia primitiva na Terra tem a ver com a necessidade de nitrogênio em abundância para deslanchar todos esses processos pré-biológicos", ela explica.

"O nitrogênio está presente na amônia. Mas há uma série de evidências que apontam que a amônia não existia em abundância no início da Terra. Então de onde veio?"

O fator específico que levou ao nascimento da vida na Terra permanece um mistério. Uma das hipóteses aventadas pela professora Pizzarello é que materiais provenientes de meteoritos tenham interagido com ambientes como vulcões e piscinas formadas pelas marés oceânicas.

Mas ela ressalvou que todas as hipóteses ainda estão no campo da especulação.

"Encontramos esses materiais extraterrestres em meteoritos que contêm o que precisamos (para chegar a uma explicação) mas, quando chegamos em questões como 'como e 'por que', ninguém sabe", afirma.

"O único que podemos dizer é que sim, parece que ambientes extraterrestres podem ter trazido o material."

Fonte:
http://www.inovacaotecnologica.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Wordpress Themes | Bloggerized by Free Blogger Templates | Macys Printable Coupons